A apesar do comunicado feito oficialmente pelo ministro da África do Sul nesta segunda feira declarando que o surto da literiose.

Registado como o mais grave do mundo pela (OMS) que matou ao menos de 204 pessoas desde o ano passado chegou ao fim, “A INAE comunica na voz da sua porta-voz, Virgínia Muianga diz que em Moçambique o consumo palone continua interdito até que o Ministério da Saúde se pronuncie.” Segundo Opais

Estas declarações foram feitas pela porta-voz da INAE nesta segunda-feira, na habitual conferência de imprensa.